Na Rede TVT

Mais um jovem negro de periferia foi morto em São Paulo. Lucas Araújo tinha 20 anos. Segundo a família, o caso não é isolado, e no último ano mais de 30 jovens morreram de forma parecida somente na região de Sapopemba. Família suspeita de grupos de extermínio com participação de policiais.

Na semana passada, o Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDECA Sapopemba publicou uma nota a respeito. Confira:

“NENHUM JOVEM A MENOS! MAIS UM JOVEM MORREU

QUEM MATOU LUCAS?

Na noite do dia 01 dois homens desconhecidos que ocupavam um carro Siena prata – placa de Santo André, passaram por um grupo de jovens na favela Santa Madalena e executam Lucas, 20 anos, trabalhador e pai de duas crianças.

Não suportando tanta violência, nós familiares e amigos de adolescentes e jovens vítimas da violência provocada por armas de fogo,em nossa comunidade, vimos a público expressar nossa dor e exigir das autoridades públicas providências para atender as reivindicações que seguem:

1. Já foi reconhecido por autoridades públicas que há em curso no Brasil o crime de genocídio contra a juventude negra e pobre no Brasil. As sucessivas execuções de adolescentes e jovens por parte de agentes do Estado e a falta ou a insuficiência de investigações sobre os homicídios praticados por policiais tem colaborado para aumentar as estatísticas do genocídio na região de Sapopemba. Exigimos o levantamento de homicídios que envolvem policiais e grupos de extermínio para uma apuração rigorosa dos casos.

2. A maioria dos adolescentes e jovens assassinadosforam antesvítimas da falta de oportunidades e de políticas públicas que lhes assegurassem lazer, esporte, cultura, cursos profissionalizantes que atendam às exigências do mercado, tratamento para dependência química, e outros. Exigimos das autoridades competentes investimento na região para atender as necessidades aqui apontadas, principalmente lazer para adolescentes e jovens nos finais de semana e no período noturno.

3. Exigimos também a implantação na região de Sapopemba de serviços na área de saúde que atendam aos usuários de drogas e a população em situação de rua, a exemplo do programa Braços Abertos.

Hoje enterramos mais um dos nossos, mas se não nos unirmos, amanhã estaremos enterrando um dos seus. Fiquem atentos, em breve iremos organizar uma audiência pública para pensar juntos ações para diminuir essa violência e promover a vida dos nossos adolescentes e jovens.

Vamos gritar juntos

NENHUM JOVEM A MENOS!”

 

DENUNCIE

Em casos de suspeita de violência ou em situação de violação de direitos com um ou mais membros de uma família (como idosos, mulheres, pessoas com deficiência, pessoas em situação de rua), faça sua denúncia pelos canais:

Disque 100 Utilize este canal para denunciar violações de direitos humanos

Ligue 180 Canal exclusivo para atendimentos de casos de violência contra a mulher