Jovens moradores de Engenheiro Marsilac, bairro localizado no Extremo Sul de São Paulo localizado em área considerada como zona rural, produziram um vídeo-poesia a partir das realizações das oficinas de Arte & Mídia promovidas pelo Projeto RUAS (Resistência Urbana e Atitude Social), uma iniciativa do Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDECA Interlagos em parceria com a fundação alemã KHN (Kindernothilfe).

Clique aqui e saiba mais sobre o Projeto RUAS

Integrando a poesia à linguagem audiovisual, os participantes relatam as experiências vivenciadas nas atividades – como oficinas de stencil e teatro – com questões do dia a dia, como: o protagonismo juvenil, participação cidadã, cultura, promoção de direitos e a discussão sobre graffiti e cidade cinza impulsionada pelas últimas ações da Prefeitura de São Paulo em relação a grafiteiros e pixadores.

E no dia 24 de fevereiro, véspera de Carnaval, jovens voltaram às ruas com participantes das oficinas do Projeto RUAS e do Circo Escola Grajaú no Bloco da Lona.

“Foi uma entrega total da turma do Marsilac juntamente com a turma do Jardim da União. Desfilamos sobre as ruas do Grajaú mostrando a cultura do Marsilac que, por muitas vezes, passa desconhecida, despercebida. Levamos o protesto sobre o assunto que está em pauta, “cidade cinza”. Protestamos usando estêncil em nossas camisas por baixo de um TNT cinza simbolizando os muros de SP”, relataram. Veja aqui como foi o bloco.

Confira o vídeo feito na oficina e, logo abaixo, a transcrição da poesia:

Pelo Resgate Da Juventude Ativa

Dentre as matas do extremo Sul
Bem Bonito o sol raiava
No Céu o tom mais lindo Azul
E cultura na quebrada rolava

Poesia pra todo lado
Vários mano nos retrato
Estêncil Trazendo Arte
Em parceria com o teatro

O som Que ali rolava
Encantava quem ouvia
Nem a chuva atrapalhou
A tarde de Poesia

Muito pelo contrário
Quebrando a contradição
Foi ali apresentado
A diferença entre Grafite & Pixação

O que teve de mais bacana
Foi a nossa comunidade
Participando , Se enturmando
De longe se via a Felicidade

Trouxeram Alegrias
Até hoje não se esqueceram
Que os muros ali pintados
Simplesmente agradeceram

As paredes mais idosas
Eram Solitárias & ranzinzas
Que bom colorir uma quebrada
Onde a prioridade era viver no cinza

A Praça Se Encheu De Graça
Olhar de curiosidade de quem ali passava
O plano era trazer Cultura & no decorrer do dia ele se realizava

O Vermelho nos bancos já não era guerra
O Verde se tornou esperança
O Branco Se transformando em Paz
Em perfeita Harmonia com Nossas Crianças !