No sábado passado (13 de maio), em que se lembrou a falsa “Abolição da Escravatura”, aconteceu a 13ª edição do Abayomi Aba na praça do Colônia, em Parelheiros, Extremo Sul de São Paulo. O evento organizado pelo coletivo Abayomi Aba pela juventude negra viva e diferentes coletivos e organizações, entre elas o CEDECA Interlagos, debateu o TOP 10 do Whatsapp.

Com mediação de Larissa Sousa, do coletivo Perifraseando, o debate contou com a participação de Guga (também do Perifraseando), Wilson Ferreira (do Abayomi Aba e do CEDECA), Mariana Valente (da organização Interlab) e da psicóloga Monica Gonçalves (que atua na saúde pública). Além do debate, houve apresentação teatral do Núcleo Pele, do grupo de dança do Circo Escola Grajaú e do Unidos Pela Dança, além de uma batalha de passinho com crianças e adolescentes.

Confira algumas fotos:

Abayomi Aba XIII

O que é o TOP 10?

O TOP 10 é uma prática de cyberbullying calcada no machismo e no racismo, e consiste em montagens feitas com fotos íntimas de meninas e divulgação nas redes sociais com conteúdos difamatórios. Os primeiros casos foram registrados no final de 2014 e início de 2015, com a “eleição” das “10 meninas mais vadias” em escolas locais. Muitas vezes sem acolhimento pelas coordenações das escolas, os casos romperam os muros dos colégios e chegaram às ruas.

Os jovens e adolescentes criaram dois vídeos que utilizam a mesma linguagem do TOP 10. Um deles chama atenção para o sofrimento das vítimas que são expostas – houve casos em que as meninas deixaram de frequentar a escola, sair à rua e até se suicidaram.