Você já ouviu falar em genocídio negro?

Genocídio é o processo sistemático de eliminação de um determinado grupo racial, étnico, ou religioso. E, como trouxe o coletivo de mídia negra Alma Preta em um especial sobre o assunto, no Brasil, nas Américas e no continente africano, intelectuais e ativistas ligados ao movimento negro defendem que sim, houve e ainda há um processo de genocídio negro.

Afinal, foram cerca de 10 milhões de pessoas deslocadas de maneira forçada na condição de escravos. Por ano, são assassinadas em média 40 mil pessoas ao ano de um único grupo racial. A população carcerária composta em 61,6% por esse mesmo grupo étnico. Além disso, os negros representam 2,1% do corpo de professores da principal universidade do país, a Universidade de São Paulo (USP), e têm renda média de 59,2% do que recebem os brancos. E, de acordo com a Fiocruz, 65,9% das mulheres mortas por violência obstétrica, também compõem esse segmento da população brasileira.

Pensando nisso, as jovens participantes do projeto CEDECA Comunica conversaram com Tati Preta Soul, educadora do Projeto RUAS – CEDECA Interlagos, para entender como isso é um processo de extermínio que está em curso no nosso dia a dia e como podemos resistir a isso.

Assista abaixo: